Há dois meses.

O governo de Temer foi sensacional.

Reduziu a atividade econômica, aumentou o déficit público.

Mas liberou uma montanha de dinheiro do povo para o povo e as vendas do Comércio aumentaram.

Retirou direitos trabalhistas e o Mercado adorou!

A inflação despencou, o desemprego, a inércia, o clima, tudo “ajudou”.

Os juros caíram, os juros pagos pelo governo.

Os bancos permanecem quietinhos, não são tolos.

Pensaram até em aprovar a escravidão, tudo pelo Mercado.

Agora é a vez da Previdência, mais gás para o Mercado.

Mas o gás acabou.

O Mercado quis “hoje”, ontem.

Quer hoje, mas hoje.

Mas parece que as mágicas terminaram.

Captu

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

2 respostas para Há dois meses.

  1. Antonio diz:

    Não tem milagres.
    O período Dilma deteriorou a economia de tal modo que a recuperação será sofrida.
    De bom , temos os juros na mínima histórica que vai aliviar as contas públicas.
    A previdência é uma bomba relógio incômoda que deve ser desarmada, não tem mais como o setor produtivo bancar os inativos nessa proporção atual
    O funcionalismo público foi inchado em quantidade e em salários nos governos Lula e Dilma.. A conta chegou e é salgada.
    O Brasil precisa privatizar tudo o que for possível o quanto antes.
    Abrir o máximo possível de concessões públicas e atrair o capital de investimento.
    Não tem jeito. O socialismo de compadrio brasileiro proposto pelo PT faliu o país.
    Tem que destravar o investimento produtivo e tirar o dinheiro público dessa equação. Priorizar saúde, educação e segurança que são funções reais do estado e não administrar correios, aeroportos, geração de energia.
    Tem muito capital disponível no mundo para investimento em infra estrutura. Basta destravar as regulações.
    Políticos em estatais nunca deram certo e nunca darão certo.
    E temos que tirar a carga tributária da indústria brasileira.. Tributar a renda e o lucro , mas nunca o consumo e a produção. É burrice. Destruimos a nossa indústria.!

    • Pimon diz:

      Nem tanto, Antonio. O gasto do funcionalismo, como proporção do PIB, caiu. Faliu o país com 370 bilhões de dólares em reservas? Êta! Os Correios não dão prejuízo. E etc. Tá lendo Veja, cara?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image